terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Entrevista para o blog Delishville de Leila Zandona


Silvia Kawaguti, a blogueira por trás do blog Não contém Glúten

Ela é brasileira e mora no Japão. Conheça Silvia Kawaguti, a blogueira que comanda a cozinha blog Não Contém Glúten.  Um blog recheado de receitas sem glúten e sem lactose. Além de deliciosas receitas, Silvia escreve também sobre a doença Celíaca, Artrite Reumatoide e mostra um pouco dos produtos sem  glúten disponíveis no Japão.
 Silvia foi muito bom saber um pouquinho sobre você. Super obrigada!
 
Como descobristes e há quanto tempo segues uma alimentação sem glúten? 
 Minha história é comprida e bem atípica! Eu tenho Artrite reumatoide há quase 7 anos e, já fazia um regime alimentar por conta disso. Pesquisando bastante, já sabia que não seria bom para mim comer  farinha de trigo refinada, então sempre procurava consumir farinha integral. Mas, no ano passado acabei exagerando um pouco e comi muito pão branco, biscoitos, pizza, etc…Resultado : Travei! Travei mesmo, sentia dores muito fortes nas juntas, uma fadiga além da que era normal para mim, e acabei ficando 2 meses de cama. Foi então que a minha mãe comentou com o médico dela, no Brasil,  que eu estava passando mal e ele levantou a questão da Doença Celíaca e da dieta sem glúten. Isso foi em Julho de 2011.
 Além do glúten, tens alguma outra intolerância ou sensibilidade a outros alimentos? Lactose, ovos…
 Eu tenho intolerância à lactose e passei 6 anos sem comer ovos. Voltei há pouco tempo a comer a clara. 
 Qual foi o grande desafio quando começastes a dieta sem glúten?
 Primeiro eu parei de consumir o glúten, depois fui procurar um médico, então tive que voltar a comer 3 vezes até receber o diagnóstico. Finalmente quando eu  comecei a dieta pra valer, eu me contaminava toda hora. Considero que o maior desafio foi este, parar de me contaminar “sem a intenção”.
Moras no Japão, um país com potencial enconômico gigantesco, um grande exportador e importador, mas também com um custo de vida altíssimo. Como é viver sem glúten alí? Encontras produtos com facilidade? Compras online ou consegues encontrar com facilidade no supermercado? É mais barato comprar alí ou através de websites americanos e canadenses?  
 Achar a matéria prima, farinhas e féculas, é muito fácil, e apesar de serem mais caras são acessíveis. O que complica são os produtos industrializados. Assim como eu achava, muita gente pensa que aqui no Oriente o arroz predomina, mas não é bem assim. Em praticamente tudo tem farinha de trigo, chocolates, doces tradicionais, salgadinhos, molhos para salada e macarrão, na maior parte dos embutidos e até no vinagre! Parte das compras eu faço pela internet em sites japoneses mesmo, a outra parte encontro com facilidade em supermercados. Compro polvilho e farinha de mandioca do Brasil em mercados brasileiros aqui na minha cidade.
 Que tipos de farinhas sem glúten você encontra?
 De todos os tipos : Farinha de arroz, farinha de arroz aglutinado, fécula de batata, polvilho doce e azedo, trigo sarraceno, millet, fubá, sorgo, farinha de arroz tipo mochi, araruta, farinha de batata roxa e até goma xantana, fabricada em Okinawa, temos aqui.
 Cozinha japonesa é famosa no mundo todo e oferece pratos saudáveis a base de arroz, peixes e legumes mas também é verdade que o molho de soja (feito a base de soja e trigo) está presente na maioria desses pratos e molhos prontos. Como driblas isso em restaurantes e supermercados?
 É uma situação bem complicada! Em restaurantes de sushi, além do problema do shoyu, tem o fato de agora oferecerem sushi com empanados, então é contaminação na certa. Em outros tipos de restaurante, o menu é 90% inviável por conter shoyu ou sauce, todos com farinha de trigo. Até agora só encontramos um fast-food chamado sukiya, onde o prato principal não leva shoyu, nem sofre contaminação cruzada.  
Eu adoro sushi e aqui em Londres é possível encontrar alguns lugares onde podemos saborear shushi sem glúten e inclusive garçons e garçonetes nos orientam quais os pratos que podemos pedir. Eu sempre levo na bolsa o meu molho de soja sem glúten. Isso acontece com você? É possível comer sushi sem glúten no Japão? Os garçons e garçonetes estão cientes das alergias alimentares?
 A Doença Celíaca ou sensibilidade ao glúten não entra nem na lista de doenças raras aqui no Japão. Talvez, 0,1 % das pessoas saibam o que é glúten. As alergias mais comuns por aqui são : frutos do mar, ovos, maçã, leite e pólen.  Então essa preocupação não existe em restaurantes. Provavelmente em restaurantes tradicionais de sushi, onde é servido apenas sushi de peixes e frutos do mar (nada de empanados), seja possível comer sem susto. Mas, infelizmente custam muito caro, e para mim torna-se inviável.
 Como é a legislação japonesa em relação aos rótulos das embalagens?
 Em alimentos infantis vem uma tabela com o desenho do produto alérgeno, inclusive o trigo, e uma marcação indicando se contém ou não o ingrediente. Nos demais produtos industrializados, parece não ser obrigatório o uso desta tabela, mas todos vem com a descrição clara dos ingredientes e entre parenteses vem dando ênfase para os principais alérgenos, por exemplo este produto contém soja ou contém trigo. Infelizmente é necessário ler a escrita japonesa para decifrar os ingredientes.
Quais as dicas que darias para alguem que está indo de férias ao Japão e precisa seguir uma alimentação  sem glúten?
 Essa pergunta é a mais difícil! Para se ter uma ideia, os tradicionais bolinhos de arroz – o onigiri – que são facilmente encontrados em qualquer loja de conveniência e supermercados, apenas um sabor não contém trigo, o de Ume (ameixa salgada). Pão de arroz, apenas pela internet e é muito caro, vem congelado e ainda por cima é ruim.
Achas que seguir uma alimentação sem glúten no Japão é mais fácil do que no Brasil?
 No dia-a-dia, para a pessoa que prepara a própria refeição, acho que não tem muita diferença. Mas, comer em restaurantes e lanchonetes é muito complicado, para não dizer impossível.
 O que gostarias de encontrar no supermercado e que não encontras agora?
 Eu gostaria que alimentos industrializados, como por exemplo, o bolinho de arroz recheado com doce de feijão, não sofressem contaminação cruzada ou desnecessariamente contivessem glúten no preparo. São alimentos que naturalmente não contém glúten, mas que com a modernidade passaram a ter, infelizmente.
Para finalizar, poderias nos dizer qual a sua receita sem glúten preferida?
 Para eu preparar, gosto muito do bolo de coco, mas para eu comer, a barrinha de frutas secas.

Leila, queria muito te agradecer o carinho e a atenção! Você sabe que sou sua fã! Beijos!
Pin It now!

Um comentário:

  1. Mais uma vez minha irmã, Parabéns!!! Vc merece!!!!

    ResponderExcluir